• RSS
  • Add to favorites
  • Print
  • email
  • Twitter
  • Facebook
  • Orkut
  • Google Bookmarks
  • del.icio.us
  • Live
20/ 08/ 2012 | Categoria: Justiça

Doação ilegal de madeira apreendida pode provocar a cassação de prefeito candidato a reeleição em Goiás

Uruaçu/GoiásO Ministério Público de Goiás abriu investigação judicial eleitoral requerendo a cassação do registro de candidatura do atual prefeito de Uruaçu e candidato à reeleição, Lourenço Pereira Filho, e do candidato a vice-prefeito, Luis Humberto Ribeiro. Conforme relatado no pedido, “denúncias feitas ao MP Eleitoral apontaram que madeira armazenada na garagem municipal após apreensão por supostos ilícitos ambientais e em processos vinculados ao Juizado Especial Criminal na comarca estariam sendo doadas à população”.

Após a requisição de informações ao juízo da comarca, diligência feita no local apontou que grande quantidade de madeira teria sido doada à população através da Secretaria de Promoção Social. Vistoria realizada para apurar a quantidade de madeira que havia no local “constatou que houve desfalque de aproximadamente 70% do que havia sido apreendido em ações da polícia e que estava vinculada a processos judiciais”.

Prosseguindo com as investigações, os promotores de Justiça Alessandra Caldas Gonçalves e Afonso Antônio Gonçalves Filho colheram depoimentos do funcionário responsável pela garagem municipal, que “confirmou a ocorrência de doação da madeira, com autorização e ordens recebidas”. Também foram colhidos os depoimentos de três cidadãos beneficiados com o material, que corroboraram as informações.

Lourenço novamente é alvo de ação do MP. Desta vez por doação ilegal de madeira apreendida e distribuída em período eleitoral.

Lourenço novamente é alvo de ação do MP. Desta vez por doação ilegal de madeira apreendida e distribuída em período eleitoral.

Considerando que a madeira seria utilizada para a cobertura de pequenas residências, segundo análise da vistoria, teriam sido beneficiadas cerca de 300 famílias.

Assim, os promotores concluíram que o fato de o atual prefeito ter feito doação no ano eleitoral e em pleno processo já iniciado para as eleições de 2012, por meio de distribuição gratuita de bens em total desconformidade com a legislação em vigor, representa “a ocorrência de contexto fático de abuso do poder econômico e político a favorecer sua candidatura e, de consequência, proporcionar evidente desequilíbrio do processo político eleitoral”. Eles acrescentam ainda que tais fatos não se deram sem o conhecimento do prefeito, que é a única pessoa diretamente favorecida com a ilicitude, gerando a seu favor a gratidão do eleitorado em retribuir com o voto os bens recebidos gratuitamente.

“Além da cassação do registro de candidatura do prefeito e vice-prefeito, os promotores pediram a cassação de eventual diploma e a inelegibilidade deles para as eleições a se realizar nos próximos oito anos”. Por fim, é requerida liminar proibindo qualquer atividade da mesma natureza, sob pena de prática de crime de desobediência. (MP-GO com adaptações)


Nenhum comentário ainda!

Fechado a comentários!





10/ 12/ 2013

Amigos internautas aguardem as novidades

Pedimos desculpas pelos transtornos, pois estamos em reconstrução de nossas páginas para melhor informar.   Já no inicio do ano de 2014 estaremos...

...continue lendo »

10/ 12/ 2013

Amigos internautas aguardem as novidades

Pedimos desculpas pelos transtornos, pois estamos em reconstrução de nossas páginas para melhor informar.   Já no inicio do ano de 2014 estaremos...

...continue lendo »

10/ 12/ 2013

Amigos internautas aguardem as novidades

Pedimos desculpas pelos transtornos, pois estamos em reconstrução de nossas páginas para melhor informar.   Já no inicio do ano de 2014 estaremos...

...continue lendo »

10/ 12/ 2013

Amigos internautas aguardem as novidades

Pedimos desculpas pelos transtornos, pois estamos em reconstrução de nossas páginas para melhor informar.   Já no inicio do ano de 2014 estaremos...

...continue lendo »

10/ 12/ 2013

Amigos internautas aguardem as novidades

Pedimos desculpas pelos transtornos, pois estamos em reconstrução de nossas páginas para melhor informar.   Já no inicio do ano de 2014 estaremos...

...continue lendo »

3/ 12/ 2013

Vai dar cadeia: no Brasil pode-se criticar tudo, menos os políticos e partidos

O texto aprovado pelos parlamentares não diferencia danos à imagem causados por um fato verídico ou provocados por mentiras   Brasília/DF –...

...continue lendo »

24/ 11/ 2013

Policiais Civis goianos em nota oficial fazem esclarecimentos sobre a greve à população

O GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS MENTE E ENGANA TODOS OS GOIANOS   Goiás/Brasil – O atual governo promete, não cumpre e mente, culminando nesta...

...continue lendo »

⇒ Posts Relacionados



⇒ Os Mais Vistos da Semana

  • No results available

⇒ Com a palavra: O Leitor

  • Carla: Tem que morrer, como disse o colega acima, bandido bom é bandido morto.
  • Gustavo Simplicio: Em 1997 aconteceu o mesmo no Ceará, o governador Tasso Jereissati (PSDB) mandou o GATE enfrentar os manifestantes, são todos...
  • Claudio: Morte a eles o mais rápido possível, alias bandido bom é bandido morto.
  • Felix Rodrigues de Moura: Dizem que esse Mesquita é o bambambam da segurança, pelo menos no papel, veio da Policia Federal. Agora vem o...
  • JOSÉ CARLOS: A Falta de efetivo na policia civil data de décadas, porém a atual situação em que se encontram agentes e escrivães se tornou...


⇒ Foi Notícia...


30.06.2011 | 6:03

Hcor testa ‘pílula’ que promete reduzir derrame e infarto do coração
Hospital em SP testa “superpílula” capaz de reduzir em 60% risco de derrame ou infarto   São Paulo/SP – Pesquisadores do Hospital do...

...continue lendo »



Notcias Atualizadas



Denuncie o trafico internacional de mulheres Diga NAO as drogas Pedofilia e crime - DENUNCIE Denuncias anonimas Delegacia Virtual

Toda pessoa tem direito à verdade. O servidor não pode omiti-la ou falseá-la, ainda que contrária aos interesses da própria interessada ou a da administração pública. Nenhum estado pode crescer ou estabilizar-se sobre o poder corruptivo do hábito do erro, da opressão, ou da mentira que sempre aniquilam até mesmo a dignidade humana quanto mais a de uma nação. (Decreto nº 1171/1994)